ESCULACHADOS NA MICARETA TUKKKANA [ou NÃO BASTA SER FASCISTA, TEM QUE SER CAPACHO]

Como de costume, no meio da horda raivosa que tomou a avenida paulista no último domingo estavam também as gangues de rua nazifascistas. Até aí, nada de novo: pelo menos desde a segunda fase das Jornadas de Junho as gangues pilantras vêm atuando como seguranças/tropa de choque para essa gente linda, branca e rica que sai às ruas para “protestar”. Mas a prisão de alguns carecas do subúrbio durante a micareta reaça de domingo, sim, é um fato que merece ser comentado.

Acusados de estarem provocando alguns manifestantes, os carecas tomaram um enquadro da Polícia Militar (que ironia para essa patota ganguista que vive pedindo a volta da ditadura militar…), que encontrou com eles mais de trinta rojões, além de socos-ingleses, armas de choque e spray de pimenta. Foram vaiados pela coxinhada verde-amarela enquanto eram levados presos pela PM na Rua da Consolação.

É óbvio que não foram vaiados, hostilizados e presos por serem fascistas ou pedirem um golpe de estado. Nesses quesitos os carecas estavam bem afinados com a grande maioria dos demais presentes. O fato é que não eram brancos o suficiente para estarem ali, tinham caras pouco europeias, eram periferia demais para que naquela situação rolasse empatia por parte dos boys. Podemos até arriscar que talvez a palavra “subúrbio” em suas camisetas tenha facilitado a identificação pelos coxinhas.

A mensagem da elite branca foi clara: não basta compartilhar da mesma ideologia reacionária, os carecas devem também saber se manter no lugar subalterno que lhes está reservado. Uma coisa é atuar como tropa de choque da burguesia, como fizeram na manifestação de 20 de junho de 2013, quando atacaram com rojões a coluna da esquerda e por isso foram aplaudidos pelos poderosos. Outra bem diferente é querer participar em pé de igualdade com a família Setúbal na micareta promovida pela Rede Globo.

Quem sabe agora, com esse puxão de orelha de seus patrões, os pilantras tenham aprendido a lição e se conformem em ficar no lugar que lhes cabe nesta sociedade de classes que tanto defendem.

***

Menos de 24 horas depois do esculacho na Paulista os pilantras já estavam soltos. Ser capacho da burguesia tem lá suas vantagens. Enquanto isso, Rafael Braga segue na cadeia desde 2013 por levar uma garrafa de pinho sol na mochila.

2015-03-17

This entry was posted in Opinião. Bookmark the permalink.

One Response to ESCULACHADOS NA MICARETA TUKKKANA [ou NÃO BASTA SER FASCISTA, TEM QUE SER CAPACHO]

  1. Rafael says:

    Ótimo texto camarada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *